Curriculo

Atentos a modernização da Leiloaria é que “Souza Leilões” através de Hilda Emilia de Souza Costa Lima, Leiloeira Publica Oficial, titulada pela M.M. Junta Comercial do Estado da Bahia (JUCEB), por decisão do Plenário como Preposta de Leiloeiro em 14 janeiro de 1976, e como Leiloeira Oficial em 18 julho de 1986 JUCEB 01910/86, assumindo a vaga do segundo decano, Dr. Bartolomeu de Brito Souza, colocar á disposição de Empresas do Setor Privado e Publico ”Economia Mista, Autarquias, Prefeituras etc.”; sua equipe de trabalho é altamente capacitada para levar à Hasta Publica os bens que forem considerados disponíveis à comercialização, o que certamente proporcionará melhores resultados financeiros haja vista, a eliminação de determinados custos.

Por que utilizar um Leiloeiro?

Os Leiloeiros exercem funções publicas e até mesmo necessárias à administração da Justiça que, não raro, se utiliza dos Leilões Judiciais para poder dar eficácia às suas decisões.
O Leilão caracteriza-se pela abertura imediata das propostas, sagrando-se vencedora aquela que ofertar melhor preço, transformando-se assim num instrumento mais adequado de venda de qualquer bem.
O Leiloeiro Público tem total interesse em conduzir o pregão, haja vista que o aumento nas vendas significa melhores resultados financeiros tanto para si, como para o Comitente.
De resto a experiência prova que, de todas as modalidades de licitação, o Leilão é a que tem menor índice de contestação judicial, portanto melhor instrumento de venda para a administração publica e privada.

Os leiloeiros Oficiais exercem segundo a Lei, função de mercadores e são investidos nos seus cargos pelas Juntas Comerciais dos seus Estados. Seus atos são personalíssimos só podendo ser substituídos pelos seus Prepostos ou Colega devendo para isso justificar-se mediante correspondência as Juntas e Comitentes, tendo fé de Oficio.
Como é de conhecimento, nossa profissão é bem antiga até considerada a segunda do mundo. O direito muçulmano proibia a venda em Leilão, porque o preço podia exceder o verdadeiro valor. Caracterizado pela transparência, pela abertura imediata das propostas do melhor preço, transforma-se no instrumento mais adequado para a venda de qualquer bem, móveis ou imóveis, desativados do ativo fixo.